Saúde

DIETA SAUDÁVEL DO CORAÇÃO ANTES E DEPOIS DE CIRURGIA CARDÍACA





saude


1-Comer peixes ricos em omega-3 como: SARDINHAS,SALMÃO,ATUM,TRUTA,ETC.
2-Pode-se comer gorduras monoinsaturadas dos AZEITES,ABACATE,FRUTAS OLEAGENOSAS(nozes,castanhas)-não aumentam colesterol
3-Comer somente leites DESNATADOS,SEMIDESNATADOS,IOGURTE LIGHT,IOGURTE DESNATADO.
4-Preferir óleos :SOJA;CANOLA,GIRASSOL,MILHO,AZEITE OLIVA.
5-Comer somente MAIONESES SEM COLESTEROL
6-Comer margarina sem gordura TRANS e com FITOSTEROIS
7-Evitar sempre FRUTOS DO MAR: CAMARÃO,OSTRAS,LAGOSTA,LULA,POLVO,MARISCOS.
8-Evitar CREME DE LEITE,LEITE CONDENSADO,CHANTILY(SOMENTE SE O PRODUTO FOR LIGHT)
9-Nunca FRITURAS, nada a MILANESA OU DORÊ-Prefira ASSADOS;GRELHADOS;ENSOPADOS;COZIDOS.
10-Evitar QUEIJOS AMARELOS E INTEGRAIS(mussarela,parmesão,provolone,brie,roquefort,etc..).Prefira RICOTA,COTTAGE,MINAS FRESCAL,REQUEIJÃO LIGHT,QUEIJOS LIGHT todos com MODERAÇÃO.
11-Evitar gorduras como: BACON,TOUCINHO,LEITE DE COCO,BANHA VEGETAL,AZEITE DE DENDÊ
12-Comer somente claras dos OVOS(CONTROVÉRSIAS)
13-C0mer LINHAÇA TRITURADA com frutas,sucos,adicionadas á refeições,pois OMEGA-3 está dentro da linhaça e o organismo não tem enzimas pra digerí-las.
14- Comer AVES SEM PELE (peito,coxa,sobrecoxa) evitar MIÚDOS,CORAÇÃO,ETC..
15-Não comer EMBUTIDOS(linguiças,salsichas,salames,mortadelas,presuntos,etc..)
16-COMER peito de peru,linguiça de peru ou frango
17-COMER carne vermelha MAGRA(alcatra,patinho,coxão mole,lagarto,filet mignon.EVITAR carnes gordas como COSTELAS, CUPIM,PICANHA,CONTRAFILÉ,E MIÚDOS(fígado,dobradinha)
18-SEMPRE,SEMPRE FRUTAS(cuidado diabetes),LEGUMES,GELATINAS E TODOS OS DIAS VERDURAS quanto mais colorida melhor.
19-PREFIRA biscoitos integrais,cream cracker e água sal(cuidado hipertensão)

20-EVITAR biscoitos recheados e wafer.
fonte: http://drmonteiro40.blogspot.com.br







Saiba como surge o cancer de Mama!




O câncer surge a partir de um erro que ocorre na formação das células do corpo humano, levando ao surgimento de células anormais, já que ocorre uma alteração no DNA, que é responsável pelo código genético de cada indivíduo.

Geralmente, as células saudáveis do organismo do homem, vivem, dividem-se e morrem, porém, as células cancerosas, que são aquelas que estão alteradas e que provocam o câncer, dividem-se de forma descontrolada, dando origem a uma neoplasia, que normalmente é conhecida por tumor.
Em um organismo saudável, as células multiplicam-se, sendo que, normalmente as células "filhas" devem ser sempre iguais às células "mães", não tendo alterações.
No entanto, quando uma célula "filha" torna-se diferente da célula "mãe", significa que ocorreu uma mutação genética, e, que pode indicar o surgimento de um câncer.
As células cancerosas, multiplicam-se descontroladamente, levando à formação de tumores malignos que podem atingir outros órgãos, que se chama metástases. A formação de câncer é lenta e passa por diferentes fases, como:
cuidados do cancer

  1. Estágio de iniciação: é a primeira fase do câncer, onde as células sofrem o efeito dos agentes cancerígenos, provocando modificações em alguns de seus genes, porém, nesta não é visível o câncer.
  2. Estágio de promoção: as células transformam-se em célula malignas gradualmente através do contato constante com o agente causador do câncer;
  3. Estágio de progressão: é a fase em que se dá a multiplicação descontrolada das células alteradas, evoluindo até o surgimento dos sintomas.
Os fatores que podem provocar o câncer são agentes que provocam alterações nas células saudáveis e, quando a exposição é prolongada há maior chance de desenvolver câncer.
Causas do câncer
As mutações genéticas podem ser causadas por motivos internos, como doenças, ou por motivos externos, como o ambiente. Assim, o câncer pode surgir devido:
Radiação intensa: através da exposição solar, aparelhos para ressonância magnética ou solário, por exemplo;
Inflamação crônica: pode ocorrer a inflamação de algum órgão, como intestino, havendo maior chance de desenvolver câncer;

Fumo: o tabaco, por exemplo é uma fonte que potencia o câncer.



​Vírus: como hepatite B ou C ou o papiloma humano, são em alguns casos, responsáveis pelo câncer.
Em alguns casos, a causa do câncer ainda é desconhecida e, a doença pode-se desenvolver em qualquer órgão do organismo, espalhando-se para outras regiões do corpo através do sangue, sendo o nome do câncer de acordo com o órgão afetado.

O câncer também se pode desenvolver em crianças e mesmo em bebês, sendo uma alteração nos genes logo ainda durante a formação.

fonte: tua saude

Peixe, faz  mesmo bem pra saúde?


saúde




Ômega 3 
Nos últimos anos, a boa reputação do peixe esteve associada à presença de ômega 3, ácidos graxos essenciais que o corpo não produz a partir de outras substâncias - são "poli-insaturadas" -, encontrados em abundância em certos peixes.

Durante muito tempo a ciência apoiou e incentivou o consumo de peixe. Estudos sugeriam que o consumo era bom para o coração, o desenvolvimento do cérebro e o crescimento.

O ômega 3 começou a ser adicionado a certos alimentos, como leite, sucos e cereais, e uma indústria de suplementos de óleo de peixe floresceu. Mas, mais recentemente, pesquisas ligaram o ômega 3 a um risco maior de desenvolver certos tipos de câncer (como o de próstata) e descartaram que o consumo de suplementos de óleo de peixe reduz o risco de doenças cardíacas.

Também descobriu-se que o excesso de ômega 3 pode aumentar o risco de acidente vascular cerebral. "Foram atribuídos ao ômega 3 diversos benefícios sobre os quais não se têm certeza", disse à BBC Eduardo Baladía, editor da revista Nutrição Humana e Dietética e promotor do Centro de Análise de Evidência Científica da Fundação Espanhola de Dietética e Nutrição (FEDN). "Na verdade, temos dúvidas sobre o ômega 3. É muito problemático dizer que consumi-lo faz bem para a saúde."

O quadro completo 
Um ponto sobre o qual os especialistas concordam é que o valor nutritivo do peixe não começa e não termina no ômega 3.  "Se você pudesse dizer, com certeza, que os benefícios de comer peixe se originam inteiramente na gordura poli-insaturada, então ingerir pílulas de óleo de peixe seria uma alternativa a comer o próprio peixe. Mas é mais provável que uma pessoa precise da totalidade das gorduras dos pescados, suas vitaminas e minerais ", escreveu Howard Levine, chefe editorial da publicação de Saúde da Universidade de Harvard, em um artigo em 2013.

"Às vezes nos fixamos demais em super nutrientes e superalimentos", diz Eduardo Baladía. "A ingestão de peixe substitui o consumo de carne, que têm gorduras menos saudáveis. Isso podemos considerar verdade absoluta. E, só por isso, já é interessante comer peixe", completa.

saúde

Então, qual peixe? 
Em revistas e jornais, inúmeros artigos recomendam a opção por peixes com mais gordura, porque eles são ricos em ômega 3.

A Clínica Mayo, em Rochester, nos Estados Unidos, por exemplo, diz que "peixes gordurosos, como salmão, truta, arenque e atum, contêm mais ômega 3, e, assim, proporcionam benefício maior."

Baladía, por sua vez, acha que há espaço para peixe com baixo teor de gordura - e, portanto, calorias. "Especialmente em uma sociedade em que o consumo de energia é alto, em que as gorduras saturadas e o colesterol são elevados, uma refeição sem isso, feita apenas de proteínas, é atraente", diz ele.

Semana Santa o ano todo? 
Mas o conselho é não transformar a dieta da sexta-feira Santa em rotina o ano todo.


O Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido recomenda comer apenas uma porção de peixe gorduroso por semana - por causa de sustâncias tóxicas, como o mercúrio, presentes nestas espécies devido à contaminação das águas - e quantas vezes quiser de peixes pouco gordurosos.


Mas todos concordam que frutas e verduras ainda são a chave de uma alimentação saudável.
fonte: Terra

Mitos e Verdades, sobre a Síndrome de Down


saúde



 Quem tem a síndrome pode estudar, namorar, ter filhos? Embora seja uma condição de saúde que atinge atualmente 270 mil pessoas no Brasil, segundo o Ministério da Saúde, as pessoas que vivem com ela ainda têm sua capacidade frequentemente questionada.

A Síndrome de Down não é considerada uma doença, mas uma alteração genética na qual a pessoa possui três cromossomos 21 ao invés de dois. Os indivíduos que não possuem a síndrome têm 46 cromossomos em suas células e as com Síndrome de Down, 47. Este cromossomo a mais nas células é responsável por algumas características físicas e também pela maior prevalência de certos problemas de saúde.

O nome da síndrome é uma referência ao médico britânico John Haydon Langdon Down (1828-1896), o primeiro a escrever sobre ela.

"[A pessoa com a Síndrome de Down] têm maior risco de sofrer cardiopatias congênitas, malformações em órgãos internos, hipotireoidismo, determinados tipos de leucemia, doença celíaca, surdez e alterações oculares, além de alterações em ossos do pescoço que levam a uma fragilidade dessa região", afirma Tatiana Ferreira de Almeida, geneticista do Ambulatório de Diagnóstico da Apae de São Paulo.

Desde o nascimento, o bebê com Síndrome de Down precisa de mais cuidados do que um recém-nascido sem a condição. Segundo a pediatra Ana Claudia Brandão, do Hospital Israelita Albert Einstein, essa criança tem que ser constantemente acompanhada por pediatra; fisioterapeuta, para estímulo da parte motora; fonoaudiólogo, para cuidar da musculatura facial e desenvolvimento da fala; e terapeuta ocupacional, entre outros especialistas. 

saúde



Mitos e verdades sobre a Síndrome de Down

Pessoas com Síndrome de Down morrem cedo.

MITO: A expectativa de vida de uma pessoa com Síndrome de Down é bastante prejudicada devido aos riscos aumentados dessas crianças desenvolverem patologias graves, especialmente cardíacas, o que pode levar a uma morte precoce. Entretanto, com os devidos cuidados, geralmente chegam à idade adulta. Atualmente, com os avanços da medicina, alguns chegam à terceira idade com boa saúde.

Como viver bem?
"Cuidados de saúde com atenção especial aos problemas mais frequentes, programas de estimulação precoce para os bebês, e a possibilidade de uma vida com oportunidades, incluindo escola, trabalho e lazer possibilitam às pessoas com Síndrome de Down ter um desenvolvimento que ainda surpreende muita gente", diz a pediatra Ana Claudia Brandão. 

Os custos que envolvem cuidar da criança com Síndrome de Down são superiores ao de outras crianças, pela necessidade da consulta com diferentes especialistas. Mas o SUS (Sistema Único de Saúde), entidades filantrópicas como a Apae e planos de saúde oferecem atendimento específico -- basta os pais procurarem.

O Ministério da Saúde criou uma cartilha exclusiva para quem tem Síndrome de Down, com ajuda de jovens que vivem com a síndrome.

Exemplos de indivíduos que vivem bem com a condição de saúde vêm surgindo ao longo dos anos, simultaneamente ao consenso de que os portadores devem viver em sociedade, não confinados.

Débora de Araújo Seabra de Moura, 32, tornou-se a primeira professora com Síndrome de Down no Brasil, segundo a Associação Síndrome de Down do Rio Grande do Norte. Ela é professora auxiliar de desenvolvimento infantil há nove anos e sempre estudou em escolas convencionais.

O ator Ariel Goldenberg, que atuou no filme brasileiro "Colegas", diz que a síndrome não o impede de fazer nada. O filme conta a história de três jovens com Síndrome de Down apaixonados por cinema e que um dia, inspirados por um filme, fogem no automóvel do jardineiro do instituto em que vivem.

Já o fotógrafo britânico Oliver Hellowell, 18, tem Síndrome de Down e quase 50 mil fãs no Facebook, onde posta suas fotos. Estimulado pelos pais a ativar sua criatividade, ele se empolgou com a fotografia e, a partir da repercussão de seu trabalho nas redes sociais, ele diz que seguirá nessa profissão.

Down estuda, namora e faz sexo
Os cuidados com a saúde, aliados à possibilidade de interação com a sociedade, ampliam as chances de o portador da síndrome viver de forma mais independente. O primeiro passo deve começar pela família, que precisa evitar infantilizar o Down dentro e fora de casa. Por ter um retardo mental e sexual natural, é comum que eles sejam tratados como crianças. Um erro, na avaliação da pediatra.

"O comportamento infantilizado aparece por falta de oportunidades de interação e superproteção. A família não permite que a pessoa cresça, não a deixa decidir, escolher, correr risco, errar. Ninguém amadurece assim", diz Ana Claudia Brandão.

Esse tipo de tratamento perpetua outros mitos em relação aos portadores, de que eles não podem estudar em escolas consideradas 'normais', trabalhar e ter relacionamentos amorosos. 

"As crianças com Síndrome de Down devem fazer o ensino regular para receberem o estímulo da convivência com crianças sem atraso de desenvolvimento e, da mesma forma, seria ideal que frequentassem alguma atividade pedagógica especializada voltada para suas demandas específicas", diz Tatiana Almeida, da Apae.

Além do estudo, é indicado que eles trabalhem ao atingir a maioridade. Uma vez treinados e observados em seu ambiente de trabalho, os portadores da síndrome podem realizar funções de acordo com sua capacidade individual. "Não há nenhum impedimento físico ou mental para o trabalho", afirma a geneticista.


saúde

Quanto à capacidade de se relacionar com outras pessoas e mesmo fazer sexo, é viável desde que isso seja mostrado como natural da condição humana, diz a pediatra.

"Os adolescentes com Down também sentem desejo. Para esse jovem, a educação sexual deve ser mais clara, é preciso ensiná-los a entender o corpo, a ter uma etiqueta social adequada para que não haja falta de limite ou para que não sejam mal interpretados. Tanto isso é possível que jovens com Síndrome de Down se casam e têm relações sexuais", diz Ana Claudia Brandão.

Podem ter filhos?
A fertilidade na Síndrome de Down ainda é estudada, mas sabe-se que as mulheres podem ter filhos, embora sejam menos férteis do que as mulheres que não têm a síndrome. Já os homens com Down, em sua grande maioria, são considerados estéreis.
Fonte: UOL








Saiba como prevenir Parkinson e câncer de fígado




saúde

Cinco xícaras de café por dia podem prevenir uma série de doenças, segundo um relatório de saúde realizado pelo governo americano. 


Especialistas que compõem o Dietary Guidelines Advisory Committee — um grupo que ajuda os EUA a formular diretrizes alimentares desde merendas escolares a rótulos de embalagens — indicam que o consumo pode diminuir o risco de desenvolver diabetes, doença cardíaca, Parkinson e câncer de fígado.
— Eu não quero dizer que o café cura o câncer. Ninguém pensa isso. Mas não há nenhuma evidência de que o consumo da bebida aumenta o risco da doença. O que sabemos é que acontece justamente o contrário — explica o nutricionista Tom Brenna, da Universidade de Cornell.
A recomendação do comitê é que o consumo ideal diário de café seja de três a cinco xícaras. Segundo os cientistas, não foram encontrados maiores benefícios nos casos em que o consumo de café foi maior do que o indicado.

Eles ainda ressaltam que grávidas devem consultar o médico para saber a quantidade indicada da bebida, mas sugerem que duas xícaras seja o suficiente.


Estudos comprovam que a ingestão não exagerada de café pode trazer outros benefícios para a saúde, como: menor incidência de zumbido no ouvido, redução do risco de câncer de fígado e prevenção de doenças.
fonte: DC



Fuja de sete perigos que ameaçam seu verão

saúde, dicas saudáveis


Para alguns, não pode faltar uma cerveja gelada. Para outros, o essencial mesmo é uma porção de fritas. E aí é que se encontra o perigo. Segundo o fisiologista do esporte e consultor científico Daniel Portella, da Secretaria de Esportes d de São Caetano do Sul, o consumo de bebidas alcoólicas e frituras oferece riscos extras no verão. "O álcool, por exemplo, acelera o processo de desidratação natural do corpo", explica o profissional. E os perigos não param aí: se você quer aproveitar os dias de calor sem passar por desconfortos, veja as dicas dos especialistas e evite as principais ameaças ao seu bem-estar nesta época.

Álcool

Segundo o fisiologista e pesquisador do Centro de Estudos da Medicina da Atividade Física e do Esporte (CEMAFE) Raul Santo de Oliveira, o problema não está no consumo das bebidas alcoólicas, mas nos exageros. "Álcool e bebidas à base de cafeína são altamente diuréticos e aceleram a desidratação natural do corpo, já mais intensa quando está calor". Ele recomenda, se você estiver bebendo, alternar as doses de álcool com um copo de água.


Frituras


saúde, dicas saudáveis

"Com o aumento da perda de líquidos, causada pelo calor excessivo, as gorduras não são bem metabolizadas. Por isso, você pode sentir sensação de mal-estar e desconforto", explica Daniel. Além disso, o consumo de frituras acontece junto à ingestão de bebidas alcoólicas, o problema piora. "O álcool altera o controle de liberação da bile, fluido que auxilia na digestão de gorduras", explica o especialista do CEMAFE.

Sal

Uma porção de fritas e sal. Salada e mais sal para temperar - sem contar o sal que já vem embutido nos alimentos. Resultado: pernas e pés inchados. Segundo Raul Santo, isso acontece porque o sódio, presente no sal, favorece a retenção de líquidos no corpo. "Até certa quantidade ele é benéfico, mas grande parte das pessoas exagera e não se lembra que o sal consumido não é somente aquele visivelmente acrescentado aos alimentos", afirma. No calor, a situação complica ainda mais: os vasos ficam dilatados, dificultando o retorno do sangue principalmente dos membros inferiores.

Overtraining

"Overtraining é a prática excessiva de exercícios e pode prejudicar até quem está acostumado a treinar regularmente',afirma Raul. Segundo ele, quem se exercita demais pode apresentar problemas como dificuldade para dormir, falta de disposição e irritabilidade. No calor forte, típico do verão, há ainda o perigo de desmaio, devido à queda de pressão; risco de insolação, caso o treino seja feito sob o sol da tarde; desidratação e hipertermia, quando a temperatura corporal fica muito elevada.

Superexposição solar

saúde, dicas saudáveis


A temperatura corporal interna de uma pessoa deve ser de 37º C, independente do horário do dia. Por isso, ficar exposto ao sol, principalmente entre 10h e 16h, pode causar hipertermia, quando o corpo não consegue mais estabilizar o calor interno. "Nesse estágio, o organismo direciona toda sua energia para tentar dissipar o calor e, assim, algumas células param de funcionar, podendo causar desmaios graves", diz Daniel Portella.

Baixa ingestão de líquido

Desidratação, a perda de líquidos pelo organismo, age de forma similar à insolação. "Ela atrapalha o funcionamento de algumas células essenciais para a manutenção da vida, podendo gerar desde um pequeno mal-estar até desmaios", esclarece Daniel. Por isso, ande sempre com uma garrafinha de água e crie o hábito de dar pequenos goles de tempos em tempos. Não espere sentir sede para se hidratar - nesse estágio, o corpo já está sofrendo com a falta de líquidos.

Alimentos mal conservados

saúde, dicas saudáveis


Se existe algo que pode estragar de vez suas férias, a intoxicação alimentar está na lista. Isso porque o alimento contaminado ou mal conservado que você consumiu precisará ser eliminado por vômito ou diarreia. "Além disso, dependendo do estado do alimento, ele pode conter bactérias bastante perigosas à saúde e até causar a morte nos casos mais graves", afirma Raul. Se você desconfiar de intoxicação, não pense duas vezes: procure imediatamente um pronto-socorro e se hidrate intensivamente. Para prevenção, evite alimentos de origem duvidosa, prefira consumir frutas e sanduíches que você mesmo comprou ou preparou manteve em mochilas térmicas.

fonte: Minha Vida

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço por comentar!